Categoria: Brasília

Noite das Donzelas 


Em 2017 pela sétima vez desfilaremos nosso charme pelas ruas da nossa Capital, e como sete é um ano cabalístico vamos fazer uma festa para esquentarmos os tamborins. Então no sábado 14/01 vamos tirar nossa purpurina do armário e brilhar na pista do espaço secreto, no som:

 – Dj Igor Fearn Igor Fearn

 – Renno Renato Luís

 – Bruno Antun (LAJE) 

 – Bernadete Campari Campari

 – Oficina e Bloco Eletrônico Patubate Oficina e Bloco Eletrônico Patubatê

 Performace da crew da Hands Up

 Shots de Catulove!

 Entrada até as 00:00 R$ 15,00

 Depois das 00:00 R$ 30,00

Fonte: Grupo Vidart no WhatsApp 

Joe Valle assume legislativa do DF com discurso animador

Joe Vale é tipo um estrategista da nova escola. Atual, engajado e sabe o que o povo quer, ou pelo menos não quer.
Manobra sobre ajuste de passagens em discurso de posse é deixar a porta entreaberta pra chegada à câmara federal. Assim como as pegadas quase “regufianas” (com menos demagogia, eu acho) que nos leva a ter a sensação de que pode vir a ter jeito essa coisa de política.

Pra nós, cidadãos e praticantes da boa e velha espera, ver homens públicos expondo vontade popular em momentos como este, realmente aproximam nossa expectativa da realidade e nos dão um fôlego pra começar bem o ano.

Que seja legítimo!
[ ],s

Carandiru Foi Massacre 

A violência coletiva e autoritária na história: 
Mesmo em menor escala, o Massacre do Carandiru é pro Brasil, o que o Holocausto foi para a Alemanha na Segunda Guerra Mundial.
Foi tipo injusto, saca?
Pra que pena de morte, meu povo? Ela já existe e atua por todas as vielas, contextos e prisões. Matar ainda é visto como solução e matar muitos, por um lado é motivo para descanso, condecorações e honras mil. 
Sei que o clima era tenso e pá. Mas partir pra cima de pessoas armadas com pedaços de madeira e estiletes artesanais com um verdadeiro arsenal, ficou feio. No mínimo desigual. Algo triste de se pensar. 
O mote político e as coincidências: 
Segundo matéria do Catraca Livre, 5 dias depois do massacre/chacina do Carandiru, Temer foi nomeado Secretário de Segurança e sugeriu “repouso, meditação e tratamento psicológico para os policiais”. 
A ONU, pelo menos, trata o episódio como um dos mais fora da casinha dos direitos humanos. 
De forma mágica, foi dado agora, terça passada, como legítima defesa. 
Coincidência ou não, o Temer é presidente da república e 73 policiais indicados como autores diretos dos assassinatos e adjacências, livres. 
Meu apelo particular:
Oremos! 
Tony L. Draper 

Besouro Bass – Grupo de rap de Brasília cria campanha ousada para lançamento de seu novo clipe.

Na última segunda-feira, os seguidores do grupo BesouroBass foram surpreendidos com uma notícia trágica. A falsa matéria de um jornal da capital dizia que o grupo havia se acidentado rumo a Chapada dos Veadeiros, notícia desmentida ao clique do internauta, pois a notícia já levava diretamente para o video clipe onde acontece um acidente que faz parte do roteiro. Quem clicou no link passou do susto pra o estado emocional que lhe era propício no momento e, ao meio dia, depois de mais de 30 compartilhamentos depois, pedindo desculpas pelo susto. Como resultado da ação conjunta, o grupo obteve 2 mil visualizações logo nos primeiros dois dias de lançamento.

Confira o clipe e a notícia abaixo. Sim, eu fiz a produção executiva e sou um dos culpados pelo susto dos fans. Desculpem. Mas parece que as estratégias de lançamento não irão parar. Vou soltando aqui a medida que as estratégias forem rolando.

Parabéns, Besouro Bass e parceiros.


É com muito pesar que compartilhamos esta notícia com nossos amigos, fãs e parceiros.
Na última madrugada, a caminho da Chapada dos Veadeiros, a Van que levava os integrantes do grupo BesouroBass colidiu com uma carreta. Os envolvidos no acidente encontram-se internados em estado grave.

WhatsApp Image 2016-07-31 at 12.45.31

Pedimos a todos que direcionem suas boas vibrações para que passemos por este momento com garra e força de vontade.

É Noiz Que Voa!

Veja notícia completa aqui:
https://goo.gl/by0yKD

BesouroBass grava clipe com apelo ambiental na Chapada dos Veadeiros

O rap, diferente do que muitos pensam pode sim, ser ferramenta para boas mensagens, reflexão sobre o meio ambiente e sociedade. 

Trilha para Almécegas – Chapada Dos Veadeiros

Ele (o Rap) é livre, inclusive para simplificar a mensagem sobre preservação ambiental. Talvez e, porque não, invadir lares e tornar crianças de hoje ambientalistas de amanhã. 


Foi nesse espírito que partimos para a Chapada dos Veadeiros. A busca pela mensagem ideal, pelas imagens que nem um milhão de palavras diriam e pela tradução livre de temas repetidos, mas não entendidos, como sustentabilidade, por exemplo. 


Em dois dias fizemos o possível para gerar imagem de conteúdo para o projeto Ritmo, Poesia e Preservação. Ali também nos tratamos, nos retratamos e buscamos uma paz com nossa consciência por saber que estávamos fazendo uma pequena (minúscula) parte do que precisa ser feito para que a pauta saia do domínio dos catedráticos e se torne prática corriqueira no cotidiano de qualquer pessoa comum.

Além de experiências transcendentes (como não poderiam deixar de ser), esperamos por uma onda de boas novas a cada dia. Pois sabemos que o trabalho não é vão. 

Vamos! 

O bem não está calado

As notícias sobre tragedias violências mil se espalham como erva daninha. Em paralelo, com menos publicidade e voluntariado genuíno, movimentos como ocuperiodoce, Ocupeolago, Virada do Cerrado mobilizam pessoas para fazer o bem. Sim, faço parte dos três, com muito orgulho e a dedicação que meu cuidado com a comunicação de 3 empresas me permite. 

Em algum momento da história, o lucro virou regra, quem tem mais, pode mais. E para a decepção de quem busca a felicidade onde ela não está, alguns despertam e entendem, buscam o equilíbrio e se conectam a outros, então o milagre acontece. 

Depois de 2 anos tirei 4 dias de descanso em Florianópolis. Lá fiz esta foto.

Nesse processo pessoas se auto curam, se examinam e se dispõem a fazer o que está ao alcance para mostrar este outro lado da moeda. É o melhor que poderíamos ter? Definitivamente, não.  Mas é o que conseguem, com seu talento e dedicação.

Reunião do projeto #ocuperiodoce

São pequenos blocos coloridos em meio ao cinza que tomou conta do mundo. São beija-flores levando gotas na busca (não ingênua) de apagar as labaredas do pessimismo, do consumo desmedido e da falta de zelo com o próximo (leiase meio ambiente). 

Reuniao com assessorias de comunicacao do GDF para apresentar a Virada do Cerrado

A escolha pelo desânimo, descrédito e desalento bate à porta todos os dias. Cumpre a você entrar na vibe que te levará a entender que faz parte de uma cadeia de dna que já não põe o lucro acima da vida. Pois por hora são os pobres, mas quando as febres insistirem em não cessar, tenhamos cuidado, pois não sobrará pedra sobre pedra. 

Se é pra ser, sejamos! De milagre em milagre. Sejamos. 

Deus nos abençoe! 

Fazendinha JK, última morada de Juscelino, será reaberta ao público


Uma relíquia da história e da arquitetura nacional está em reforma para ser reaberta ao público, após quase cinco anos fechada. Última moradia do ex-presidente Juscelino Kubitschek, morto em 1976 em um acidente automobilístico, a Fazendinha JK receberá convidados em uma festa programada para setembro, quando o antigo dono faria 114 anos. O imóvel conserva todos os móveis, artigos pessoais e itens de decoração de quando a família do político vendeu a propriedade, em 1984, a um ex-deputado paranaense, aliado dele. Além disso, localizada em Luziânia, distante 13km do centro da cidade goiana e a 60km de Brasília, a residência é a única obra de Oscar Niemeyer na zona rural.
Juscelino comprou o imóvel em 1972, após ter o mandato cassado pela ditadura militar e de ser proibido de entrar em Brasília. Queria um lugar onde pudesse passar os dias, reunir os amigos e, de lá, ao entardecer, ver as luzes da capital que ergueu no Planalto Central. Encantou-se com a Fazenda Santo Antônio da Boa Vista. Decidiu comprá-la e a apelidou de fazendinha. Virou a Fazendinha JK. Ali, ele se tornou produtor rural. Usou modernas práticas de irrigação. Plantou soja, arroz, café, eucalipto, na intenção de provar que o solo do cerrado era fértil.
Fonte: Correio Braziliense

Kick-off para o World Water Forum – Day 2 – Invasões sindicais à parte, estamos afim!

 No segundo dia de atividades do Kick-off para o World Water Forum, continuamos com os trabalhos em grupo, escolhi o tema sustentabilidade e me integrei a um grupo bastante eclético, geograficamente falando. Juntos construímos parte do plano que irá compor o Fórum Mundial da Água em 2018.

Ainda encontei pessoas queridas 🙂

No período da tarde voltamos para o plenário e tivemos um momento de apresentação das comissões temáticas onde cada uma das quatro comissões tiveram 10 minutos para falar. Maria Silvia Rossi, Secretaria de Meio Ambiente, compartilhou nossa discussão dos 11 grupos de trabalho feita pela manhã.

Itens para a composição do plano de sustentabilidade a ser debatido no Forum Mundial da Água

“A sustentabilidade é um processo a ser construído e não tem uma única definição determinística”. Maria Silvia

Foi levantado por uma maioria arrebatadora e endoçado Maria Silvia, a necessidade de um pós evento, onde possamos dar continuidade daquilo que começamos a construir. Precisamos instituir um fórum forte e absorvido de forma integral por seus participantes.

foto: Yorrana Moraes

Consegui perguntar o que seria possível fazer para tornar mais comum a temática água para as pessoas comuns. Disseram que darão um jeito nisso. Espero fazer parte desse processo de construção de linguagem para esta temática para famílias de baixa renda. Pois, meio ambiente no Brasil é assunto para rico, além elitista e prolixo. O povo não tem paciência para ladainha. 

Fundação Mais Cerrado, Caixa Exonômica e World Water Council , juntos !

Pra encerrar o segundo dia, um delicioso coffe break, onde concedi uma entrevista para a Rádio Cultura e uma ultima foto com o pessoal esse pessoal  da pesada. 

Manifestantes invadem o Kick-off Meeting:

Como se deu tal estrago? Ausencia de dialogo , diplomacia e demais fatores que levam o caos para dentro de eventos que tem como background a paz.

Um episódio à parte conseguiu movimentar  o evento de forma interessante. 

Manifestantes do sindicato dos funcionários da Caesb, invadiram o plenário em busca de um ouvido para suas solicitações. Fizeram algum barulho e voltaram As 16:30, vieram, fizeram sua fala, onde apresentaram o manifesto por um saneamento básico público (há rumores que pretendem privatizar a caesb há tempos), além de reinvidicarem os reajustes salariais para a categoria. Foram com Deus.

Sobre liderança, só um adendo:

Vivemos realmente um problema de liderança sem precedentes.

TL

 

 

Kick-off Meeting – 8º World Water Forum Day 1

Ju Pinto (Sema), Tony Lopes (#ocupeolago) e Yohanna (Mais Cerrado)
Ju Pinto (Sema), Tony Lopes (#ocupeolago) e Yorrana (Mais Cerrado)
Realizado pelo World Water Council, Adasa, Governo de Brasília e Governo Federal, o Kick-Off Meeting,é um encontro de 3 dias para apresentar e preparar as instituições para o 8º World Water Forum que acontecerá em 2018 e será sediado em Brasília.

Muito bom encontrar parceiros de projetos como Lucas, Adm. Lago Norte
O Governador, em seu discurso de abertura, nos alertou para uma realidade: “De agora em diante, Brasília é a Capital Mundial da Água”.


Paulo Sallles, presidente da Adasa, trouxe uma palavra de conforto e tranquilidade para os participantes. Deixando claro que o Forum quer abraçar os paises latinos e africanos em nossas discussões durante o Evento. “A água deve estar no topo das questões voltadas para as politicas publicas”, disse.

Após as falas do plenário, iniciamos os trabalhos em grupos, cada um com um tema e cada tema sendo construídos pelos particpamtes do mundo inteiro.

Gabriela Batista (Sema) e Marcelo Ottoni (#ocupeolago)
Eu, particularmente, estou dando minha contribuição,representando os 3 movimentos em que participo de forma ativa, #ocupeolago, #ocuperiodoce e Virada do Cerrado. E, de bate pronto, posso dizer apenas uma coisa: Vai ser o fórum mais eficiente que já fizeram. Brasília está pronta! Vamos.
Saiba mais aqui!

 

Natinho abre seu Mercadinho e, mais uma vez, transborda criatividade libertária


Conhecido na cena underground, Natinho é parte integrante imprescindível do DNA da cultura brasiliense (sim, temos uma). No ramo de camisetas alternativas, é figura marcante e metamórfica, sempre criando espantos estéticos, paródias e sensações mil com seus silks. Quem conhece o Conic sabe do que estou falando.

Enquanto os meninos sonham com o vale do silício e o aplicativo que os deixará bilionários da noite pro dia, Natinho, já cauterizado, transmite a paciência e a sabedoria de quem conhece o mercado. “Prefiro me manter caseiro, dentro do meu espaço de atuação”, diz. 

Hoje tive a oportunidade de fazer uma visita e (o que acontece sempre) constatar o que torna este pioneiro no ramo das camisetas “transadas” um mito, esse cara tem alma, sentimento e verdadeira paixão pelo que faz.


Parabéns, Natinho. Sucesso  e vida longa ao seu mercadinho. 

Para quem ainda não conhece, o Mercadonho do Natinho fica no Conic, ao lado do Teatro Dulcina, vale a pena conhecer.